Um livro para os estudiosos da história das ciências

A ciência está em constante evolução, e, na medida em que novos conceitos vão surgindo, outros são gradualmente descartados. Algumas ideias, embora não possam ser submetidas diretamente ao crivo da experiência, mostram-se essenciais ao exercício da imaginação cientifica. Este é o tema de “Imagens de natureza, imagens de ciência”, de Paulo C. Abrantes, lançamento da EdUERJ, Para o autor, estas imagens são responsáveis por fornecer a matéria-prima para os modelos e metáforas que constituem uma teoria científica.

A obra traça um panorama da história das ciências em um período que se estende da antiguidade até o século XIX, incluindo áreas como astronomia, física e biologia. As imagens da ciência abordadas por Abrantes norteiam a pesquisa científica e, por vezes, caracterizam um recorte temporal específico. Funcionam como instrumentos metodológicos da ciência e, em muitas situações, não podem ser facilmente delimitadas como ideias cientificas. No entanto, vale ressaltar que uma imagem tem geralmente mais estabilidade do que uma teoria, e um grupo de teorias pode compartilhar uma mesma imagem.

Ao rever recortes temporais distintos da história das ciências, o autor constrói um percurso que congrega temas como a política científica/educacional e o caso da revolução francesa; as imagens na recepção da teoria de Charles Darwin; ou o mecanicismo e o dinamismo na ciência moderna. Trata-se de uma publicação que interessará sobretudo a pesquisadores, cientistas e a todos aqueles interessados em história e filosofia das ciências

 

Deixe uma resposta