Título da Ciranda aborda a poesia de Tamara Kamenszain

Um dos mais recentes títulos da coleção Ciranda da Poesia tem o mérito de ser uma das poucas iniciativas publicadas no Brasil que se dedica a analisar a literatura da argentina Tamara Kamenszain. Adriana Kanzepolsky, professora da USP e doutora em Língua Espanhola e Literaturas Espanhola e Hispano-Americana, traz à tona os aspectos mais emblemáticos de suas criações, tornando a publicação uma referência para os estudiosos da poesia latino-americana

Em “Tamara Kamenszain por Adriana Kanzepolsky”, o leitor percebe uma autora que se guia de maneira recorrente por questionamentos a respeito do luto e da potência com que a inexorabilidade da morte atinge a experiência da escrita. Na literatura de Kamenszain, esses temas mesclam-se, entremeados, por alusões à cultura e tradição judaicas.

Merecedora de numerosos prêmios, como a medalha de honor Pablo Neruda, do governo do Chile, a obra de Tamara Kamenszain remete a uma linhagem e tradição literárias argentinas em que “nitidamente Osvaldo Lamborghini ocupa o lugar de um pai e Néstor Perlongher o de um irmão”. Com esses e outros poetas, Kamenszain dialoga, eventualmente com citações e referências diretas em seus textos.

A análise proposta por Adriana Kanzepolsky revela essa poeta, que voluntariamente desvincula sua escrita do fazer autobiográfico ou do arrebatamento da inspiração, pois sua escrita “enquanto se faz é autobiográfica de si mesma”. Na seleção de versos de Kamenszain que integra a Ciranda, percebe-se uma autora reflexiva, por vezes melancólica.

Kanzepolsky traz ainda interpretações específicas para livros da poeta, como Gueto, Solitários ou O eco da minha mãe. E como todos os títulos da Coleção Ciranda da Poesia, há uma antologia de poemas do autor analisado.

O livro pode ser encontrado no sistema Por Demanda, pelo link abaixo:

https://eduerj.com/?product=tamara-kamenszain-por-adriana-kanzepolsky

Deixe uma resposta