Os anos da juventude: homenagem à cultura dos anos 60


A EdUerj disponibiliza, em seu site, o livro “Os anos da Juventude (um romance)”, de Francisco Venceslau dos Santos, na página da Coleção Caetés. Ao contrário da imensa maioria dos nossos livros, este é uma ficção. Foi lançado originalmente em 2014 pela Editora Caetés e recebeu ótimas resenhas pela sua narrativa ágil e bem construída. A trama avança entre cenários distintos, passando por Piauí, Rio de Janeiro e Paris e registra aquele período da vida em que, apesar da pouco idade, as escolhas podem ser definitivas (ou não). O fluxo temporal, que atravessa os anos, a variedade de cenários e a descrição minuciosa das cenas conferem um sabor cinematográfico ao enredo.

O romance traz a perspectiva dos anos 60, embalada pela história de um grupo de amigos e de suas experiências. Das páginas brotam alusões às músicas, filmes e literatura da época, período mais marcante da contracultura. Sob um olhar romântico, os personagens enveredam pelos desafios da vida adulta, enquanto veem e discutem filmes de Godard e de Glauber Rocha, frequentam o Cine Paissandu e ouvem o rock de Chuck Berry, Beatles, Velvet Underground ou a MPB de Caetano Veloso e Clementina de Jesus.

O enredo reforça o sentimento de paixão, fervor e inquietação próprios da juventude, além de uma certa insegurança em relação ao futuro, ampliada quando se vive em meio a um período do Golpe Militar. Mas é um romance que ecoa o tom de otimismo de seus personagens e jovens não desistem de sonhos, mesmo diante dos obstáculos. No final das contas, quem foi adulto nos anos 60 sentir-se-á aconchegado pelas descrições pormenorizadas dos cenários e das referências históricas. E quem não não estava lá poderá sentir um pouco do gostinho de uma década em que tantos sonharam com “paz e amor”, antes de despertarem com o sintomático veredito de Lennon: “o sonho acabou”.


O autor Francisco Venceslau dos Santos foi professor da UERJ e membro efetivo da Academia Brasileira de Filologia. Lançou diversos títulos, a maioria na área do estudos das letras, como autor ou organizador. Entre eles, “Callado no Lugar das Ideias – Quarup um Romance de Tese”, “Dessertões” (poesias) “Geografia Literárias Confronto: entre o local e o nacional” (organizador), “Samuel Rawet – fortuna crítica em jornais e revistas” (como organizador). E não parou aí: dedicou-se também à atividade editorial, à frente da Editora Caetés.

No site da EdUerj é possível encontrar material do catálogo da Editora Caetés, incluído gratuitamente na Coleção Francisco Venceslau dos Santos/Caetés. Muitas das obras são dedicadas aos estudos literários ou ao debate sobre literatura e mercado editorial; mas também há títulos que contemplam áreas como a educação ou a história. O catálogo da Caetés tem esse diferencial de ter passado pelo crivo do professor Francisco Venceslau. A presença dessas publicações no site da EdUERJ valoriza o acervo da Editora, ao mesmo tempo em que constitui uma justa homenagem ao mestre Francisco Venceslau, que pontuou sua vida pela defesa das letras, da literatura e da cultura.

Deixe uma resposta